Como identificar se meu filho tem autismo?

O diagnóstico de autismo nem sempre é simples ou fácil. Os sinais que indicam o transtorno podem ser sutis e, em muitos casos, são interpretados pelos pais como uma característica do filho.

São várias as famílias nas quais o comportamento da criança autista é considerado apenas um sinal de timidez ou um desenvolvimento cognitivo mais lento. Em geral, a negação dos pais e o medo acabam adiando a busca por especialistas, o que pode ser prejudicial à criança.

O que é o autismo?

O autismo é um transtorno psiquiátrico que dificulta, principalmente, a comunicação e a interação social das crianças. Os primeiros sinais costumam aparecer entre um e três anos de idade.

Apesar de ser um ponto marcante do problema, o isolamento da criança não deve ser o único fator analisado pela família. É preciso ficar atento a todos os comportamentos que possam indicar o distúrbio.

Se você se pergunta sempre “como saber se meu filho tem autismo?”, este artigo vai te ajudar a elucidar algumas dúvidas e guiará seu coração e sua mente para a melhor forma de ajudar seu filho.

Confira os principais indícios do transtorno na infância:

1 – O autismo causa problemas de adaptação, comunicação e interação social. A criança prefere ficar sozinha e tem dificuldade para desenvolver qualquer tipo de relação afetiva ou social.

2 – A criança com autismo dificilmente faz contato visual, tem comportamentos repetitivos, tende a apresentar fixação por objetos, movimentos, desenhos e outras coisas que chamem sua atenção.

3 – A comunicação verbal é bastante prejudicada e a criança também tende a demonstrar certa apatia. Ela pode também não identificar o próprio nome, o que leva muitos pais a cogitarem a possibilidade de problemas auditivos.

4 – A criança que já fala pode desenvolver o que se chama de ecolalia, o que significa que ela repete diversas vezes a mesma palavra, decora músicas e comerciais de TV, fala mecanicamente a mesma coisa o tempo todo, como um eco.

5 – Algumas crianças também podem apresentar sinais de ansiedade, irritabilidade, inquietação, agressividade e dificuldades para encarar mudanças na rotina.

É importante deixar claro que existem vários níveis de autismo e somente uma equipe multidisciplinar e especializada poderá realizar o diagnóstico. Para as mães e pais que suspeitam que os filhos possam ter o transtorno autista, o ideal é buscar ajuda profissional, com o suporte de um neuropediatra, um psicólogo infantil, um terapeuta ocupacional e um fonoaudiólogo.

Dados da Organização Mundial da Saúde apontam que uma em cada 160 crianças no mundo tenha o transtorno do espectro autista. No Brasil, o número de crianças com autismo pode chegar a 2 milhões. O transtorno tem maior prevalência nos meninos.

Para promover um acompanhamento adequado e tratar os sintomas do autismo, é fundamental que os pais quebrem as barreiras do preconceito e do medo e busquem ajuda médica. Sendo assim, em caso de qualquer suspeita ou dúvida sobre o transtorno, procure um profissional especialista em autismo!

Em caso de dúvidas, não deixe de me escrever.

Até breve,

Daniely S. Taraskevicius
Especializanda em Autismo, Terapia ABA e Modelo Denver.
CRP: 06/141592

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *